Pesquisar este blog

domingo, 8 de maio de 2011

Nós, mulheres, somos tudo. Até mães.

Eliane F.C.Lima

Neste dia dedicado às mães por uma sociedade capitalista quero relembrar alguns aspectos. Primeiro que, num tempo não tão longínquo, a única felicidade que restava a uma mulher –
seriam felizes mesmo? – era ser mãe, além de esposa extremosa. Na verdade, o título e a homenagem apenas tinham como intenção reforçar os limites domésticos impostos à mulher em seu papel de ser da vida privada. A rua, os negócios, a vida pública, o capital, a liberdade de escolha, enfim, eram prerrogativas masculinas.
Hoje a homenagem às mães se reveste de um outro aspecto: o fato de uma mulher, com todas as atribuições novas que conquistou na vida pública, que agora também é sua – nada distingue a vida de uma mulher da vida de um homem –, exercer as funções da vida privada, como ser mãe, com aptidão, faz da mulher, realmente, um ser excepcional, tenha filhos ou não. Meus parabéns a nós está posto, não apenas por sermos mães, mas, em primeiro lugar, por sermos mulheres e competentes. Aliás, como sempre fomos.

4 comentários:

Guidinha Pinto disse...

Olá Eliane. Já há tempos que não a visitava. Li o seu texto, compreendi-o. Mãe, não sou. Sou da raça humana e Mulher, sempre. Começamos, nós as mulheres, a ganhar e a conquistar a confiança dos outros, porque realmente somos capazes de quase tudo, como os homens. Capazes até de assistir, ao lado de outros homens, a matanças, no decorrer de uma operação militar. Não sou mãe, sou mulher, mas garanto-lhe que incapaz de desempenhar um papel de secretária de estado idêntico à de Hillary Clinton. Este é o meu sentir.
Fique bem.
Beijo

Fernanda disse...

Amiga Eliane!

Efectivamente somos tudo, nós mulheres somo a espinha dorsal do Mundo ... e contudo ainda tão mal tratadas.
Quanto caminho ainda a percorrer!!!

Beijinho

Marise Ribeiro disse...

Já nos desejamos um Feliz Dia das Mães, mas deixo aqui registrada também a admiração pela mulher, Eliane, que sabe valorizar e lutar em defesa dos nossos direitos e pelo respeito a nós de uma sociedade, ainda, tão paternalista.
Beijos,
Marise

ju rigoni disse...

Todo dia é dia das mães. Todo dia é dia da mulher. Todo dia é nosso dia, amiga, doa em quem doer... Inclusive, em nós. E nós,... só nós sabemos como desatá-los...

Um beijo, querida. E inté!
ps - Na última semana andei apertada por aqui, por causa do aniversário de Zora. Falamos depois.